Ecologia e conservação de Amazona vinacea em áreas simpátricas com Amazona pretrei

Nêmora Pauletti Prestes, Jaime Martinez, Jonas Claudiomar Kilpp, Thalita Batistela, Andréia Turkievicz, Élinton Rezende, Viviane Telles Rodrigues Gaboardi

Resumo


Amazona vinacea ocorre no Brasil, Argentina e Paraguai. Seu habitat preferencial são as  florestas com araucárias, típicas do sul do Brasil e os terrenos de grande altitude da região sudeste. A grande destruição de seu hábitat fez com que A. vinacea tivesse grande redução de sua área de ocorrência e, consequentemente de sua população. O objetivo deste estudo foi reunir informações sobre a biologia, ecologia e comportamento de A. vinacea na área geográfica simpátrica com Amazona pretrei no sul do Brasil, contemplando recomendações do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Papagaios da Mata Atlântica. Entre os anos de 2010 e 2013 foram registrados os bandos de A. vinacea, realizados censos e caracterizado seus ninhos. Buscou-se realizar a observação direta dos itens alimentares que a espécie inclui em sua dieta alimentar. Oito filhotes de A. vinacea receberam rádio-transmissor quando ainda estavam nos ninhos e tiveram os sinais rastreados de maneira sistemática até seis meses após. Foram registrados 413 bandos, com o tamanho variando de 1 a 189 aves, com a maior frequência para o tamanho de bando de dois indivíduos. Os ninhos foram localizados na maior parte em Cryptocarya aschenoniana (26,6%), Nectandra lanceolata (13,3%), Lamanomia ternata (13,3%) e Cupania vernalis (10,0%). Os principais itens alimentares registrados para a espécie foram sementes de Araucaria angustifolia e Podocarpus lambertii, frutos de Vitex megapotamica, folhas de Erythrina falcata e Piptocarpha angustifolia. Pela radiotelemetria, constatou-se que os filhotes levam de 20 a 45 dias para recrutarem ao bando de adultos. Realizam pequenos deslocamentos diários a partir do dormitório, entre 1,0 km e 1,5 km e os filhotes permanecem no grupo familiar após 120 dias. O nordeste do Rio Grande do Sul e o sudeste de Santa Catarina mostram-se como áreas de extrema prioridade para a conservação do papagaio-de-peito-roxo.


Palavras-chave


Alimentação; ocorrência; população; radiotelemetria; reprodução

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Para visualisar/abrir os manuscritos da revista (arquivos PDF) é necessário o software Acrobat Reader. Se você não possui este software, clique aqui para fazer o download da versão atualizada, em português. O software é gratuito e de fácil utilização.

________________________________
Copyright © 2010-2015 CEMAVE/ICMBio.
OJS - Open Journal Systems customizado pelo Núcleo de Tecnologia da Informação/CEMAVE.
Utilizada a tradução do SEER-IBICT para o Português-Brasileiro.

(Recomendamos utilizar o Mozilla Firefox , Google Chrome e resolução mínima 1024 x 768 pixels)